Aprendendo inglês com vídeos #016: A summer song with Jason Mraz

44944

Aprendendo inglês com vídeos é uma série de posts em que traremos para vocês vídeos acompanhados de transcrições e traduções, pois este é um material de altíssima qualidade para qualquer estudante de inglês. A grande maioria dos vídeos virão do YouTube, assim como forma de retribuir aos criadores dos vídeos incríveis que vamos usar, pedimos que você sempre dê o seu “Gostei” no vídeo (ao clicar para reproduzir o vídeo você verá a opção “gostei” no próprio vídeo).

A summer song with Jason Mraz (Transcrição)

Voiceover: If music had a season, Jason Mraz’s songs would be the soundtrack of summer. His tunes tend to be breezy and carefree, kind of like the guy who writes them.

Interviewer: A lot of artists write this song about the dark place, and you seem to write about how you get out of the dark place.

Jason: Definitely. I certainly don’t want to bring an audience into that dark place and say “come with me on a journey while I bum us all out and then hope that my next song gets us out.” No, it has to happen within one song. You know if we’re going to go to a sad place, for me I got to get out of it

Voiceover: His albums have sold 7 million copies and while Mraz dabbles in Melancholy, he never lives there, even when the topic is dead serious as with his hit The Remedy.

Jason: I wrote Remedy about my best friend in high school, his name is Charlie Mingroni and right there on the same time I was writing my first record, he was diagnosed with human sarcoma, a rare bone cancer and he was born on July 4th, and so I was triggered by the fireworks going off at Disneyland, off the freeway, and I immediately started rapping the verse.

Voiceover: The singer still likes to return to where his life in music began – playing coffee shops in Southern California. That exposure led to his first record deal and a 2002 album aptly titled “Waiting for my Rocket to Come”. It carried him out unto the road where he built his fan base. But it was his song “I’m yours” from his third album that in 2008 sent his career into the stratosphere. It’s been 76 weeks on the top 100 charts, a record at the time.

Jason: I kept thinking “okay, any minute now this is going to be over, I’m going to go back to the coffee shops” and I still think that. It’s been ten plus years of a world stage and I still think that I’m going to go back to the coffee shop someday.

Voiceover: Mraz has earned a reputation as a songwriter who knows how to turn a phrase and then turn it on its head. His skills have earned him two Grammy awards including one for his Lucky duet with singer Colbie Caillat. You’ll find those Grammy’s at Mraz’s home near San Diego in his awards room which also serves a less laudatory purpose.

Interviewer: All of your accolades are confined to a very small room and that room is called the bathroom.

Jason: A little bit of embarrassment hanging them on the wall and yet the bathroom is the place that just about everybody needs to visit at least once when they’re here. And so then they’re forced. They’re forced to be surrounded by our accolades.

Voiceover: He prefers to be surrounded by nature.

Jason: Do we still want to go a little to the right of these cats?

Voiceover: Mraz is a regular at a surf spot near his home, and self-confident enough to let us record him doing this. He called surfing his version of recess and surf culture is a big influence on his music.

Jason: The fact is surfing serves no point really, I think that brings to my music this sort of carefree and everything’s-going-to-be-okay kind of quality. Because when you’re out in the water, that’s how you feel. You’re like “everything’s going to be okay”.

Voiceover:  Jason Thomas Mraz was born and raised in Mechanicsville, Virginia. He says he had an idyllic childhood despite major upheaval at home.

Interviewer: Your parents divorced when you’re four.

Jason: Yeah.

Interviewer: What kind of impact did that have on you?

Jason: I think it had a huge impact. I remember at a really young age saying “when I get married, it’s only going to be… it’s only going to happen once and it’s going to be for life.” And so I decided I wouldn’t get married young, I would wait and I would find someone and when I get married it would be once.

Voiceover: The 37-year-old says he’s finally found that person but wants to keep their relationship private. But he unabashedly sings about love on his new album which he emphatically titled “Yes”. He’s tweaked his sound by teaming up with the all-female folk group Raining Jane. They are also touring together.

Interviewer: What’s it like to be the only boy in the band?

Jason:  I love being the only boy in the band. It’s probably the greatest decision I’ve ever made in my life. Everything’s very clean, everyone goes to bed early.

Interviewer: But you make sure you put the toilet seat down and do all those things right.

Jason: I put the toilet seat down exactly. I use the air freshener. You know, all that.

Interviewer: It’s very courteous.

Voiceover: We wanted to see if the women of Raining Jane would back that up.

Interviewer:  He claims that he puts the seat down, that he’s very courteous. Is this true?

Raining Jane: He’s so courteous. He’s so thoughtful, generous, brings us green juices, makes smoothies in the morning, definitely always smelling fresh.

Jason: I take a lot of pride in it. You know I love seeing this end up on the kitchen table.

Voiceover: Mraz is a devoted vegetarian and grows much of his food in his garden on his property.

Interviewer: You are a farmer.

Jason: I’m a gentleman farmer.

Interviewer: A gentleman farmer.

Jason: As I’ve heard it called for those who have small farms or those who dabble in farming who still has a day job but loves to grow and loves to produce a crop.

Voiceover:  He has 300 avocado trees. More fruit than he could ever eat, which is why you can thank him for some of the Guacamole at Mexican fast-food chain Chipotle. He sells his avocados to their San Diego restaurant.

Jason: Would you like to try a little bit?

Interviewer: I’d love to try one. Oh seriously good.

Jason: Y’know, I should actually just bring a little salt and lemon in my pocket.

Interviewer: And a tequila shot.

Jason: That’s it. Nothing would get done.

Interviewer: And then we get to stay out here all day.

Voiceover: Mraz says the stage is one of his favourite places to be. But even with more than a decade of success in the music business, he still doesn’t always feel worthy of his fame.

Jason: Even right now, here we are having a conversation about my life.

Interviewer: Now how you would choose to spend this day if you don’t have to?

Jason: Well, just, just, Again, I don’t see my colleagues at the coffee shop doing it this way and so I feel a little strange, I feel a little unworthy, I feel a little “why me?”.

Uma Música de Verão Com Jason Mraz (Tradução)

Narrador: Se a música tivesse uma temporada, as músicas de Jason Mraz seriam a trilha sonora do verão. Suas músicas tendem a ser alegres e despreocupadas, meio como o cara que as escreve.

Entrevistador: Muitos artistas escrevem músicas sobre o lado sombrio, e você parece escrever sobre como você sai desse lugar sombrio.

Jason: Definitivamente. Eu certamente não quero trazer um público para esse lugar sombrio e dizer “venham comigo numa jornada enquanto eu entristeço todos nós e então esperar que a minha próxima música nos tire disso.” Não, isso tem que acontecer dentro de uma música só. Sabe, se nós estivermos indo para um lugar triste, para mim, eu tenho que sair desse lugar.

Narrador: Seus álbuns venderam 7 milhões de cópias e enquanto Mraz se enche de melancolia, ele nunca vive isso, mesmo quando o assunto é muito sério como em sua música The Remedy.

Jason: Eu escrevi Remedy sobre o meu melhor amigo no ensino médio, seu nome é Charlie Mingroni e exatamente lá, ao mesmo tempo, eu estava escrevendo a minha primeira música, ele foi diagnosticado com sarcoma humana, um raro câncer nos ossos e ele nasceu em 4 de julho, e então eu fui inspirado pelos fogos de artifício sendo soltos na Disneylândia, a caminho de lá, e eu imediatamente comecei a escrever o verso.

Narrador: O cantor ainda gosta de retornar para onde a sua vida na música começou – Tocando em Cafés no sul da Califórnia. Essa exposição levou a sua primeiro contrato de gravação e um álbum de 2002 apropriadamente intitulado “Esperando meu foguete chegar”. Isso levou ele para a estrada onde ele construiu a sua base de fãs. Mas foi a sua música “I’m yours” do seu terceiro álbum que em 2008 levou a sua carreira para a estratosfera. Já são 76 semanas na lista top 100, uma gravação por vez.

Jason: Eu continuei pensando “Tudo bem, a qualquer minuto agora isso vai acabar, eu vou voltar para os Cafés” e eu ainda penso isso. Já são mais de 10 anos no mundo dos palcos e eu ainda penso que eu vou voltar para os cafés algum dia.

Narrador: Mraz ganhou uma reputação de um compositor que sabe como transformar uma frase e então fazer dela a cabeça da música. Suas habilidades deram a ele duas premiações Grammy incluindo uma para o seu sortudo dueto com a cantora Colbie Caillat. Você encontrará esses Grammy’s na casa de Mraz perto de San Diego na sua sala de premiações, que também serve para um propósito mais simples.

Entrevistador: Todas as suas condecorações estão confinadas em uma sala muito pequena que é chamada de banheiro.

Jason: Um pouco de constrangimento pendurando elas na parede e ainda assim o banheiro é o lugar que quase todo mundo precisa visitar pelo menos uma vez quando eles estão aqui. E assim eles são forçados. Eles são forçados a ser rodeados pelas nossas condecorações.

Narrador: Ele prefere ser cercado pela natureza.

Jason: Nós ainda queremos ir um pouco pra direita daqueles caras?

Narrador: Mraz é frequente em um ponto de surf perto de sua casa, e autoconfiante o suficiente para nós deixar gravá-lo fazendo isso. Ele chama o surf de a sua versão de recreio e a cultura do surf é uma grande influência em sua música.

Jason: O fato é que o surf não serve realmente nenhum propósito, eu acho que ele traz para a minha música um tipo de despreocupação e uma qualidade “tudo vai ficar bem”. Porque quando você está lá na água, é assim que você se sente. Você pensa “Vai ficar tudo bem”.

Narrador: Jason Thomas Mraz nasceu e cresceu em Mechanicsville, Virginia. Ele diz que teve uma infância tranquila apesar da grande agitação em casa.

Entrevistador: Seus pais se divorciaram quando você tinha quatro anos.

Jason: Sim.

Entrevistador: Que tipo de impacto isso causou em você?

Jason: Eu acho que isso causou um grande impacto. Eu me lembro de mim bem novo dizendo “Quando eu me casar, vai ser…Isso vai acontecer uma vez só, e vai ser pra vida toda”. E então eu decidi que eu não me casaria jovem, que eu esperaria e eu encontraria alguém e quando eu me casasse seria uma vez só.

Narrador: O rapaz de 37 anos diz que ele finalmente encontrou essa pessoa mas quer manter a relação em segredo. Mas ele descaradamente canta sobre amor no seu novo álbum que ele enfaticamente intitulou “Sim”. Ele mudou um pouco seu som se juntando a banda folk só de mulheres Raining Jan. Eles também estão em tour juntos.

Entrevistador: Como é ser o único homem na banda?

Jason: Eu amo ser o único homem na banda. É provavelmente uma das maiores decisões que eu já tomei na vida. Tudo é muito limpo, todo mundo vai dormir cedo.

Entrevistador: Mas você se assegura de fechar a tampa do vaso e fazer todas essas coisas corretamente.

Jason: Eu fecho a tampa do vaso, exatamente. Eu uso purificador de ar. Sabe, tudo isso.

Entrevistador: Isso é muito cortês.

Narrador: Nós queriamos ver se as mulheres do Raining Jane confirmariam tudo isso.

Entrevistador: Ele afirma que ele fecha a tampa, que ele é muito cortês. Isso é verdade?

Raining Jane: Ele é muito cortês. Ele é muito atencioso, generoso, nos trás sucos verdes, faz vitaminas de manhã, definitivamente sempre cheirando bem.

Jason: Eu tenho muito orgulho disso. Sabe, eu amo ver isso acabando na mesa da cozinha.

Narrador: Mraz é um vegetarian dedicado e cultiva parte de sua comida na sua propriedade.

Entrevistador: Você é um agricultor.

Jason: Eu sou um agricultor cavalheiro.

Entrevistador: Um agricultor cavalheiro.

Jason: Assim eu ouvi isso ser chamado por aqueles que tem pequenos plantios ou aquelas que mexem com agricultura e ainda assim tem um dia de trabalho mas ama cultivar e ama produzir colheita.

Narrador: Ele tem 300 pés de abacate. Mais fruta do que ele poderia comer, é por isso que você pode agradecê-lo por alguns dos Guacamoles na cadeia de fast foods mexicanos Chipotle. Ele vende seus abacates para o restaurante deles em São Francisco.

Jason: Você gostaria de experimentar um pouco?

Entrevistador: Eu adoraria experimentar um. Oh, muito bom.

Jason: Sabe, eu na verdade deveria trazer um pouco de sal e limão no meu bolso.

Entrevistador: E uma dose de tequila.

Jason: É isso aí. Nada seria feito.

Entrevistador: E então nós ficariamos por aqui o dia todo.

Narrador: Mraz diz que o palco é um de seus lugares favoritos para estar. Mas mesmo com mais de uma década de sucesso no negócio da música, ele ainda não se sente digno de sua fama.

Jason: Agora mesmo, aqui estamos nós, tendo uma conversa sobre a minha vida.

Entrevistador: Agora, como você escolheria passar esse dia se você não tivesse que “dar entrevista”.

Jason: Bom, só, de novo, eu não vejo meus colegar nos cafés fazendo isso desse jeito e então eu me sinto um pouco estranho, eu me sinto um pouco indigno, eu me sinto tipo, “por que eu?”.

Espero que vocês tenham gostado do vídeo de hoje e da transcrição/tradução! Como sempre, não deixem de visitar o vídeo no Youtube e dar o seu “gostei”, pois assim vocês estão ajudando o trabalho dos criadores desses vídeos incríveis! Link para o vídeo no YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=ro_hHCRX2xw Abração e bons estudos a todos vocês!

Aulas e materiais de estudo gratuitos!

Quer receber materiais gratuitos para estudar inglês toda semana? Basta informar seu e-mail abaixo:

Jamais enviaremos e-mails não solicitados (spam)! Powered by ConvertKit