Aprendendo inglês com vídeos #043: Could a Saturn moon harbor life?

16253

Aprendendo inglês com vídeos é uma série de posts em que traremos para vocês vídeos acompanhados de transcrições e traduções, pois este é um material de altíssima qualidade para qualquer estudante de inglês. A grande maioria dos vídeos virão do YouTube, assim como forma de retribuir aos criadores dos vídeos incríveis que vamos usar, pedimos que você sempre dê o seu “Gostei” no vídeo (ao clicar para reproduzir o vídeo você verá a opção “gostei” no próprio vídeo).

Could a Saturn Moon Harbor Life? (Transcrição)

Two years ago here at TED I reported that we had discovered at Saturn, with the Cassini Spacecraft, an anomalously warm and geologically active region at the southern tip of the small Saturnian moon Enceladus, seen here. This region seen here for the first time in the Cassini image taken in 2005. This is the south polar region, with the famous tiger-stripe fractures crossing the south pole. And seen just recently in late 2008, here is that region again, now half in darkness because the southern hemisphere is experiencing the onset of August and eventually winter.

And I also reported that we’d made this mind-blowing discovery — this once-in-a-lifetime discovery of towering jets erupting from those fractures at the south pole, consisting of tiny water ice crystals accompanied by water vapor and simple organic compounds like carbon dioxide and methane. And at that time two years ago I mentioned that we were speculating that these jets might in fact be geysers, and erupting from pockets or chambers of liquid water underneath the surface, but we weren’t really sure. However, the implications of those results — of a possible environment within this moon that could support prebiotic chemistry, and perhaps life itself — were so exciting that, in the intervening two years, we have focused more on Enceladus.

We’ve flown the Cassini Spacecraft by this moon now several times, flying closer and deeper into these jets, into the denser regions of these jets, so that now we have come away with some very precise compositional measurements. And we have found that the organic compounds coming from this moon are in fact more complex than we previously reported. While they’re not amino acids, we’re now finding things like propane and benzene, hydrogen cyanide, and formaldehyde. And the tiny water crystals here now look for all the world like they are frozen droplets of salty water, which is a discovery that suggests that not only do the jets come from pockets of liquid water, but that that liquid water is in contact with rock. And that is a circumstance that could supply the chemical energy and the chemical compounds needed to sustain life.

So we are very encouraged by these results. And we are much more confident now than we were two years ago that we might indeed have on this moon, under the south pole, an environment or a zone that is hospitable to living organisms. Whether or not there are living organisms there, of course, is an entirely different matter. And that will have to await the arrival, back at Enceladus, of the spacecrafts, hopefully some time in the near future, specifically equipped to address that particular question. But in the meantime I invite you to imagine the day when we might journey to the Saturnian system, and visit the Enceladus interplanetary geyser park, just because we can.

Thank you.

Poderia  Uma Lua de Saturno Abrigar Vida? (Tradução)

Dois anos atrás aqui no TED eu mostrei que nós havíamos descoberto em Saturno, com a nave Cassini, uma região anormalmente quente e geologicamente ativa no extremo da região sul da pequena lua de Saturno Enceladus, vista aqui. Esta região vista aqui pela primeira vez em uma imagem da Cassini tirada em 2005. Esta é a região polar sul. Com as famosas fraturas parecendo listras de tigre cruzando o pólo sul. E vistas bem recentemente no final de 2008, aqui está aquela região novamente, agora metade na escuridão porque o hemisfério sul está passando pelo início de agosto e posteriormente inverno.

E eu também mostrei que nos fizemos esta sensacional descoberta,  — esta descoberta de uma vez na vida, de jatos torrenciais saindo destas fraturas no pólo sul, consistindo de minúsculos cristais de gelo acompanhados por vapor de água e compostos orgânicos simples como dióxido de carbono e metano. E naquela época, há dois anos, eu mencionei que nós estávamos especulando que estes jatos poderiam ser de fato gêiseres em erupção de bolsões ou câmaras de água líquida sob a superfície. Mas nós não tinhamos certeza. Contudo, as implicações destes resultados, de um possível ambiente dentro desta lua que poderia suportar química pré-biótica, e talvez mesmo vida, eram tão sensacionais que, nos dois anos seguintes, nós focamos mais em Enceladus.

Nós sobrevoamos com a nave Cassini esta lua diversas vezes, voando mais próximo e mais fundo nestes jatos, nas regiões mais densas destes jatos, de modo que agora nós saímos com algumas medições de composição muito precisas. E nós descobrimos que os compostos orgânicos vindos desta lua são de fato mais complexos do que informamos anteriormente. Apesar de não serem aminoácidos, nós estamos encontrando agora coisas como propano e benzeno, cianeto de hidrogênio, e formaldeídos. E os pequenos cristais de água aqui agora aparecem para todo o mundo como sendo gotas congeladas de água salgada. O que é uma descoberta que sugere que não apenas os jatos vêm de bolsões de água líquida, mas que esta água está em contato com rochas. E que isto é uma circunstância que pode fornecer a energia química e os componentes químicos necessários para sustentar vida.

Então, estamos bem encorajados por estes resultados e estamos muito mais confiantes agora do que estávamos dois anos atrás, de que realmente podemos, ter nesta lua, sob o pólo sul, um ambiente ou uma zona que é habitável por organismos vivos. Se há ou não organismos vivos lá, claro, é uma questão inteiramente diferente. E que terá de aguardar a chegada de naves de volta a Enceladus, em um futuro próximo espero, especificamente equipadas para estudar esta questão em particular. Mas, enquanto isto, eu convido vocês para imaginarem o dia em que nós poderemos viajar ao sistema Saturnino, e visitar o parque interplanetário de gêiseres da Enceladus, só porque podemos.

Obrigada.

Espero que vocês tenham gostado do vídeo de hoje e da transcrição/tradução! Como sempre, não deixem de visitar o vídeo no Youtube e dar o seu “gostei”, pois assim vocês estão ajudando o trabalho dos criadores desses vídeos incríveis! Link para o vídeo no YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=TRQdHrGuVgI Abração e bons estudos a todos vocês!