Aprendendo inglês com vídeos #048: What’s The Oldest Tree in the World?

20101

Aprendendo inglês com vídeos é uma série de posts em que traremos para vocês vídeos acompanhados de transcrições e traduções, pois este é um material de altíssima qualidade para qualquer estudante de inglês. A grande maioria dos vídeos virão do YouTube, assim como forma de retribuir aos criadores dos vídeos incríveis que vamos usar, pedimos que você sempre dê o seu “Gostei” no vídeo (ao clicar para reproduzir o vídeo você verá a opção “gostei” no próprio vídeo).

What’s The Oldest Tree in the World? (Transcrição)

What is the oldest tree in the world?

Well, when you start talking about the oldest, the biggest or almost any other superlative nature, you’re unlikely to find a cut and dry answer. There are in fact two contenders for oldest tree, and it depends on how you define the term.

The oldest known individual tree was discovered in 2012 in the White Mountains of east central California, a great northern bristlecone pine that’s 5.063 years old. That’s older than the pyramids, here’s a photo of a similar bristlecone pine, now it doens’t look exactly alive and that may be part of its secret to success. The high cold arid climate of the white mountains turns out to be the perfect environment for fostering these ancient trees. Strangely, the higher you go in those mountains, the older the trees get and several studies have suggested that the longevity of pines there, is directly related to how bad the growing conditions are. Not only is the average rainfall on the White Mountains less than 30 centimeters per year, but most of the trees are growing on dolomite, a type of limestone in highly alkaline soil with very few nutrients. But over time bristlecones have adapted to this alkalinity unlike other trees which has left them free to grow without much if any competition.

Bristlecones also don’t expend a lot of energy on their growth and in good year the tree’s girth will increase by about 0.25 milimeters. So instead they can make the most of their meager resources. As a result bristlecones tend to have a pretty high proportion of dead to live wood, but this has its advantages too, reducing respiration and water loss, and it also helps that there are many other trees around, which makes it less likely that they’ll fall victim to a forest fire over the millenia.

Researchers are able to determine these trees precise age thanks to a process called cross dating, which involves taking core samples from both living and dead trees and then matching up the patterns of their rings to come back with the timeline. That goes back thousands of years.

For our second contender, we’re going to Fish Lake National Forest in south central Utah. Here lives a clonal colony of quaking aspen that may very well be the oldest living thing on earth. It’s been named Pando and every tree or stem as they’re called in the half square kilometer colony, is genetically identical. Although no individual tree in the colony is older than 200 years, they’re all connected by a single root system that’s at least eighty thousand years old and possibly much older. At over 6.000 metric tons, it also holds the distinction of being the heaviest known living organism on earth. So, how do Padon get so old? Clonal colonies like Pando can reproduce either by flowering and producing seeds or by producing a clone of themselves. In this case cloning just means extending the enourmous network of roots and forcing a new stem up through the ground, because the heart of Pando, is so far beneath the ground, it can’t be killed by a forest fire. Recent studies have found that Pando hasn’t reproduced sexually in more than 10.000 years. That’s quite a dry spell, and not that surprising given its age. That just means that it’s up to the root system to continue producing clones and letting forest fires burn to keep invading conifers at bay.

So thanks to the evolutionary tips, world’s oldest trees, I’ll be sure to keep them in mind when I turn five thousand years old and wanna go for another five thousand, and thank you for watching this episode of SciShow. If you have any questions or comments or ideas, write down on the comments bellow and on facebook and twitter, and if you want to keep getting smart with us here at SchiShow, you can go to youtube.com/scishow and subscribe.

 

Qual é a árvore mais velha do mundo? (Tradução)

Qual é a árvore mais velha do mundo?

Bom, quando você começa a falar sobre o mais velho, o maior ou quase qualquer outra natureza superlativa, é improvável que você encontre uma resposta pronta. Há de fato, dois competidores para a árvore mais velha e isso depende de como você define o termo.

A árvore mais velha individual conhecida, foi descoberta em 2012 nas montanhas White no leste central da Califórnia, um grande pinheiro bristlecone do norte que tem 5.063 anos de idade. Ele é mais velho que as pirâmides, aqui está uma foto de um bristlecone similar, agora ele não parece exatamente vivo e isso deve ser parte do seu segredo para o sucesso. O clima árido frio elevado das montanhas White acaba sendo o ambiente perfeito para fomentar estas antigas árvores. Estranhamente, quanto mais alto você vai naquelas montanhas, mais velhas as árvores são e muitos estudos sugerem que a longevidade dos pinheiros lá, é diretamente relacionada a quão ruins as condições de crescimento são. Não somente a média de pluviosidade nas montanhas White é menor que 30 centímetros, mas a maioria das árvores estão crescendo sobre a dolomita, um tipo de calcário em um solo altamente alcalino com muito poucos nutrientes. Mas com o tempo, os bristlecones se adaptaram a essa alcalinidade ao contrário de outras árvores que os deixaram livres para crescer sem muita ou nenhuma competição.

Os bristlecones também não gastam muita energia no seu crescimento e em um bom ano, a circunferência da árvores aumenta até cerca de 0.25 milímetros. Então ao invés disso eles conseguem tirar o máximo de seus escaços recursos. Como resultado, os bristlecones tendem a ter uma proporção bem alta de madeira morta, mas isso tem as suas vantagens também, reduzindo a respiração e a perda de água, e isso também ajuda que haja muitas outras árvores em volta, o que torna menos provável que eles sejam vítimas de um incêndio florestal através dos milênios.

Os pesquisadores são capazes de determinar a idade precisa dessas árvores graças a um processo chamado cuzamento de dadoso que envolve tirar amostras do núcleo de ambas as árvores, vivas e mortas e depois combinar os padrões de seus anéis para conseguir a linha do tempo. Isso remete a milhares de anos.

Para o nosso segundo competidor, nós vamos para a reserva nacional de Fish Lake no centro-sul de Utah. Aqui vive uma colônia clonal de Aspen Trêmulo, que deve ser muito bem a coisa mais velha na terra. Ela foi nomeada de Pando e toda árvore ou caule, como eles chamam no meio quilômetro quadrado de colônia, é geneticamente idêntica. Embora nenhuma árvore individual na colônia tenha mais de 200 anos, elas estão todas conectadas por um único sistema de raízes que tem pelo menos oitenta mil anos de idade, e possivelmente muito mais velho. Com mais de 6.000 toneladas, ele (o sistema de raízes) também detém a distinção de ser o organismo vivo conhecido mais pesado na terra. Então, como o Pando fica tão velho? Colônias clonais como o Pando, podem reproduzir ou por floração e produção de sementes ou através da produção de um clone de si mesmas. Neste caso, clonagem apenas significa extender a enorme rede de raízes e forçar um caule a sair do chão, porque o coração do pando está muito fundo no chão, ele não pode ser morto por um incêndio florestal. Estudos recentes descobriram que o Pando não se reproduziu sexualmente por mais de 10.000 anos. Isso é uma bela seca, e não tão surpreendente dada sua idade. Isso só significa que cabe ao sistema de raízes continuar produzindo clones e deixar os incêndios florestais queimarem para conter as coníferas invaoras.

Então, graças as dicas evolucionárias, árvores mais velhas do mundo, eu vou me certificar de mantê-las em mente quando eu fizer cinco mil anos de idade e quiser ir para outros cinco mil anos, e obrigado por assistir este episódio do SciShow. Se você tiver qualquer pergunta, comentários ou ideias, escreva nos comentários abaixo e no facebook e twitter, e se você quer continuar ficando inteligente conosco aqui no SciShow, você pode ir em youtube.com/scishow e se inscrever.

Espero que vocês tenham gostado do vídeo de hoje e da transcrição/tradução! Como sempre, não deixem de visitar o vídeo no Youtube e dar o seu “gostei”, pois assim vocês estão ajudando o trabalho dos criadores desses vídeos incríveis! Link para o vídeo no YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=2Zf6LE0HcFo&index=1&list=PLB0qBfL81EqtqKMDDt8LmQ_OD-dyU7WQv Abração e bons estudos a todos vocês!