Aprendendo Inglês Com Vídeos #176: How Olympians Have Changed

26685
13
SHARE

Aprendendo inglês com vídeos é uma série de posts em que traremos para vocês vídeos acompanhados de transcrições e traduções, pois este é um material de altíssima qualidade para qualquer estudante de inglês. A grande maioria dos vídeos virão do YouTube, assim como forma de retribuir aos criadores dos vídeos incríveis que vamos usar, pedimos que você sempre dê o seu “Gostei” no vídeo (ao clicar para reproduzir o vídeo você verá a opção “gostei” no próprio vídeo)

How Olympians Have Changed (Transcrição)

1 – The athletes of today are not only much better than those of the past, they also look incredibly different. The weird thing is, scientists know that the human body hasn’t evolved that dramatically in the past one hundred years. So why do Olympic athletes look so different now compared to the first winter Olympics in 1924?

2 – In the early 1900s, the ideal athlete was based on classical human proportions. If we imagine body types distributed as a bell curve with extreme body types being on the far ends, it was the middle of the curve that was considered the best physical build. Athletes who were not too tall but not too short, not too bulky but not too skinny and well, average, were deemed as ideal for the Olympic pursuit.

3 – But this has all changed. Now, athletes succeed based on their highly specialized body types which allow them to excel in a world of growing competitiveness. For example, athletes who are required to spin in the air such as figure skaters or gymnasts have been getting smaller. These athletes with short specialized body types have an advantage over average or tall athletes, weeding them out at the elite level.

4 – In fact, in thirty years, the average professional gymnast has shrunk from 5,3ft to 4,9ft. Computer simulations studying the physics of ski jumping have proven that jump length increases drastically with a decrease in body weight. Throughout recent years, this has caused world class ski jumpers to become extremely underweight, including many examples of anorexia.

5 – With women competing in the Olympic ski jumping event for the first time this year, their bodies are stockier and broader than their male counterparts. As female ski jumping becomes more popular and competitive in the future, it’s likely we’ll see the extremely thin ski jumping body type dominate the sport.

6 – Hockey is also an example of visible body changes. Studies looking at the past 26 years alone found a steady increase through the years of nearly all variables measured. This included height, mass, body mass index, aerobic and anaerobic fitness and even grip strength. Since the 1920s hockey players have increased nearly four inches on average from 5,9 to 6,1ft.

7 – So clearly the Average Joe Olympian is a thing of the past. But science says the games may now be a realistic goal for people of many different sizes and shapes. Don’t forget we have a new video out every day during the Olympics. Can’t wait? Our amazing partners at the CBC already have five of the videos up now for you to binge on.

8 – Just head to cbc.ca/Olympics/ScienceSays to watch them before anyone else. Link in the description. But we also want to know your questions for this special series. Use the hashtag ScienceSays and let us know your burning Olympic questions and subscribe for more awesome science videos.

Como os Atletas Olímpicos Mudaram (Tradução)

1 – Os atletas de hoje não são somente muito melhores que os do passado, eles também tem um visual incrivelmente diferente. O que é estranho é que os cientistas sabem que o corpo humano não evoluiu tão dramaticamente nos últimos cem anos. Então, por que os atletas olímpicos parecem tão diferentes agora, comparados com os dos primeiros jogos olímpicos de inverno em 1924?

2 – No começo dos anos 1990, o atleta ideal era baseado nas proporções humanas clássicas. Se imaginarmos os tipos anatômicos distribuídos numa curva sinodal com os tipos anatómicos extremos (representados) na pontas, era o meio da curva que era considerado a melhor forma física. Atletas que não eram altos demais nem baixos demais, não tão inchados nem tão magros e bom, mediano, era julgado como o objetivo olímpico.

3 – Mas isso tudo mudou. Agora, os atletas alcançam sucesso baseado em seus tipos anatómicos altamente especializados, o que os permite se sobressair em um mondo de crescente competitividade. Por exemplo, atletas que tem que fazer acrobacias no ar como os patinadores artísticos ou os ginastas, vêm ficando cada vez menores. Esses atletas com tipos anatômicos pequenos e especializados tem a vantagem sobre atletas medianos ou atletas altos, destacando-se para um nível de elite.

4 – Na verdade, em trinta anos, a média de um ginasta profissional encolheu de 5,3ft para 4,9ft. Estudos da física do salto em ski em simulações computadorizadas, tem mostrado que a distância do salto aumenta drasticamente com uma diminuição no peso do corpo. Nós últimos anos, isso fez com que a classe mundial de saltadores de ski se tornasse extremamente abaixo do peso, incluindo muitos casos de anorexia.

5 – Com as mulheres competindo no salto em ski olímpico pela primeira vez este ano, seus corpos são mais entroncados e amplos do que o dos seus colegas masculinos. Conforme o salto em ski feminino se torna mais popular e competitivo no futuro, é provável que veremos o corpo magro do salto em ski dominar o esporte.

6 – O Hockey também é um exemplo de mudanças anatômicas visíveis. Estudos baseados nos últimos 26 anos, descobriram um aumento estável através dos anos, em quase todas as variáveis medidas. Isso incluiu altura, massa, índice de massa corporal, aptidão aeróbica e anaeróbica e até mesmo força de pressão. Desde os anos 1920 os jogadores de Hockey aumentaram quase quatro polegadas em média de 5,9ft para 6,1ft.

7 – Então, claramente o mediano atleta olímpico Joe é uma coisa do passado. Mas a ciência diz que os jogos agora podem ser um objetivo real para pessoas de muitos tamanhos e formas diferentes. Não se esqueça que nós postamos um novo vídeo todo dia durante as olimpíadas. Está curioso? Nossos incríveis parceiros da CBC já tem cinco dos vídeos no ar para você aproveitar.

8 – Basta ir em cbc.ca/Olympics/ScienceSays para assisti-los antes de todo mundo. Link na descrição. Mas nós também queremos saber suas perguntas para essa série especial. Use a hashtag ScienceSays e nos conte suas perguntas olímpicas quentes e se inscreva para mais vídeo fantásticos de ciência.

Espero que vocês tenham gostado do vídeo de hoje e da transcrição/tradução! Como sempre, não deixem de visitar o vídeo no Youtube e dar o seu “gostei”, pois assim vocês estão ajudando o trabalho dos criadores desses vídeos incríveis! Link para o vídeo no YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=OXw9P6sCcF4 Abração e bons estudos a todos vocês!

Receba o Resumão da Semana!

Quer receber um "Resumão da Semana" todos os sábados no seu e-mail com todos os nossos materiais e conteúdos da semana?

Jamais enviaremos e-mails não solicitados (spam)! Powered by ConvertKit
SHARE
  • Jean Goulart

    Ao ouvir um áudio ou fazer uma leitura em inglês, é errado eu ir tentando traduzir o que esta sendo dito ou lido?

    • Deivid Palhares

      errado se vc não conseguir entender e nem traduzir, desanimar.
      vou te dar uma dica, como os bebes aprendem a falar? ouvindo né
      então escute bastante, veja um video em ingles sem legenda, depois com legenda ingles, depois portugues
      eu te garanto que vc vai conseguir resultados supreendentes.

  • Marcos Salles

    Achei até legal o texto, porém, senti muita dificuldade (talvez pelo fato de ser a primeira vez aqui). Achei também bem corrida a narração. Vou continuar lendo e ouvindo, com certeza.

  • Bruno S. Oliveira

    Qual é o melhor jeito de usar esses videos e transcrições para aprender? Confesso que assisto e acompanho as legendas, mas não sei bem como proceder. Me ajudem.

    • Gabriel Barros Tavares

      Tenho a mesma “dúvida”!

    • Deivid Palhares

      eu indicaria vc assistir o video.
      depois assistir de novo acompanhando a transcrição em inglês
      depois assistir acompanhando a transcrição em português, lembre que o foco é aprender inglês e não somente ver o video

    • Elisson Stein

      Eu gosto de interligar Audio, transcrição em inglês e transcrição em português, frase por frase até completar o parágrafo, e fico repetindo o mesmo paragrafo até o ponto de ouvir o audio sem transcrição nenhuma conseguindo entender tudo que está sendo passado nele, e passo pro segundo parágrafo, e repito tudo, até completar o texto todo 😉

  • Amanda

    Seria bom se vocês vissem o vídeo com ou sem legendas em inglês (o modo que você achar mais confortavel) e depois partir para o texto em inglês, e tentar entender o seu contexto. Não ligue para as palavras que você ainda não sabe, apenas se concentre no contexto. Depois de ler o texto tantas vezes que for preciso para que você tenha absorvido o máximo, circule as palavras que você ainda não sabe, anote as frases que contém essa palavra, nunca somente ela solta, mas sim uma frase! Traduza e depois leia o texto em português, digamos que o português nem é necessário aqui, mas OK, digamos que ele é uma ajuda a mais HUAHUISAD.

  • Juan Vaz

    Deveria ter como baixar o pdf e áudio

    :/

    • Juan Vaz

      O pdf que eu me refiro é tipo aqueles que ele passa na Semana Do Inglês

      Tudo explicado, com varios exemplos, etc.

      *-*

  • Alan Moraes

    Não entendi essa parte: weeding them out at the elite level
    Principalmente o uso dessa palavra weeding.
    Alguém poderia me ajudar?

    • Mannuella Costa

      Basta ir ao Youtube e baixar o vídeo. Depois copia e cola tudo aqui no word.

  • Caique Santos

    Eu uso o ANKI a alguns meses mas ultimamente não vejo resultados por exemplo: eu reviso as frases no ANKI mas quando vejo a mesma palavra em outro lugar tipo lendo, assistindo etc… não me lembro da palavra mesmo que tenha revisado muitas vezes. por que isso acontece?