Aprendendo Inglês Com Vídeos #132: Why You Shouldn’t Tell People About Your Goals

30099

Aprendendo inglês com vídeos é uma série de posts em que traremos para vocês vídeos acompanhados de transcrições e traduções, pois este é um material de altíssima qualidade para qualquer estudante de inglês. A grande maioria dos vídeos virão do YouTube, assim como forma de retribuir aos criadores dos vídeos incríveis que vamos usar, pedimos que você sempre dê o seu “Gostei” no vídeo (ao clicar para reproduzir o vídeo você verá a opção “gostei” no próprio vídeo)

Why You Shouldn’t Tell People About Your Goals (Transcrição)

1 – About a week ago, an acquaintance of mine named Tom Scott put out a video called ‘Why you should write down your goals’ and in that video he recounted a failed marketing stunt/experiment put on by the British Network i-TV where they asked people to publicly commit to goals and those goals were then etched onto monuments.

2 – These monuments were placed all around the UK in lots of historic places and they were really excited about punctuating the new millennium with this project, but after just a couple of years, the television network actually scrapped it because…well…nobody cared about it. They didn’t make any money.

3 – The point in Tom’s video though is that the financial failure of this monument project didn’t stop it from doing some good because as recent research has pointed out, the simple act of writing down your goals really does help you become more likely to achieve them.

4 – So iTV’s project, despite its failure, mostly did benefit the people who committed to those goals…or did it?

5 – See, these people didn’t just write down their goals privately. They publicly stated them and had someone etch them onto a monument for all to see and therein lies the problem. They told someone, or rather, several thousand “someones” on national television, what their goals were and it turns out that telling people about your goals actually does you more harm than good.

6 – Now, maybe this is confusing to you. After all, accountability and stuff, right? Won’t telling my friend about my goal to run a marathon make me accountable to them? Well in one word – nope. Unfortunately, that’s usually not how it works.

7 – Here’s the thing, most of your friends won’t care enough to actually make you keep you accountable. They’ll pat you on the back. They’ll give you some congratulations on your goal but most of them are too busy dealing with their own lives to break into your house at 4 am with a boom box playing Eye of the Tiger. Unless you’re me.

8 – More importantly, announcing your goal widens your Intention-Behaviour Gap. Which is the disconnect between knowing you should do something and actually doing it. Now, psychologists have been studying the Intention-Behaviour Gap since the 1920s and what they’ve learned is basically, we humans, we like to dream a lot.

9 – We’ve got tonnes and tonnes of dreams, aspirations, goals, fantasies, and we’re usually smart enough to know what the first step is in order to achieving that goal. Unfortunately, we often have trouble actually taking that first step to say nothing of continuing on to the next ones.

10 – Being aware of this fact, in 2009 a group of researchers at NYU decided to study how the Intention-Behaviour Gap was affected by people telling others about their goals. And across four different experiments, they had people first say the goal and then they gave them 45 minutes to work on them.

11 – For each of these experiments, the people were divided into two different groups. The first group announced their goal to the room before starting work while the second group kept their mouth shut and here’s what happened. The group that said nothing tended to work for the entire 45 minutes on average and when asked about their progress, they were pretty realistic.

12 – They tended to say that they still had a lot more work to do before they’d be done. By contrast, the people who announced their goals quit after only 33 minutes of work on average and when they were asked about their progress, they were a lot more confident and tended to say that they were pretty close to completion, even though they weren’t.

13 – These latter groups made so much less real progress because announcing their goal gave them a fake sense of accomplishment. See, when you announce your goal to somebody and they affirm it, you feel good. You almost feel like you have actually made a step towards achieving that goal and that gives you some small sense of satisfaction.

14 – This is called social reality. The affirmation of your goal by somebody whose respect you desire and actually makes you feel like you’re closer to achieving it. Even though, in reality, you haven’t done anything.

15 – Now, I first heard about this study in a TED talk given by the entrepreneur Derek Sivers who I have massive amounts of respect for and after presenting the research findings in the talk, here was his advice:

16 – You should resist the temptation to announce your goal, delay the gratification that the social acknowledgement brings, and understand that your mind mistakes the talking for the doing.

17 – Now as a general principle I totally agree with this and I think that we should heed it for the most part. I don’t think that it disproves the usefulness of accountability partners but I do think that it highlights the importance that if you’re going to get one and tell them your goal, you should make sure it’s somebody who will actually keep you accountable. Also, it helps to frame your goal in terms of the work you need to put in rather than the identity that you want to assume.

18 – So instead of saying ‘I want to run a marathon’, which paints you as a cool, tough marathon runner, just say ‘I am going to run an hour a day’. That’s work you have to put in and it’s much easier for them to keep you accountable for it.

19 – With that being said, the main conclusion of Tom’s video is still completely valid, I definitely think that you should write down your goals and now that you’ve finished watching this video, go give that one a watch. It’s a good one. You can also check out Derrick’s original TED talk, which I’ve embedded in the blog post for this video.

20 – If you want to read that you click the orange button right there. If you want to get new tips on being a more effective student every single week, click the big, red subscribe button down below and I wrote an entire book on how to earn better grades so if you want a copy sent to your email, click the picture of the book.

21 – Last week’s video was all about how I use my calendars so check it out if you missed it and if you’d like to connect, I’m on Instagram and Twitter @TomFrankly or you can leave a comment down below.

Thanks for watching!

Porque Você Não Deveria Contar às Pessoas Sobre Seus Objetivos? (Tradução)

1 – Cerca de uma semana atrás, um conhecido meu chamado Tom Scott postou um vídeo chamado “Porque você deveria escrever seus objetivos”, e nesse vídeo ele conta sobre um esquema/experiência de marketing fracassado criado pela Rede Britânica i-TV onde eles pediam às pessoas para se comprometerem publicamente com seus objetivos e aqueles objetivos seriam então gravados em monumentos.

2 – Esses monumentos estavam localizados por todo o Reino Unido em vários lugares históricos e eles ficaram muito empolgados em pontuar o novo milênio com esse projeto, mas depois de só alguns anos, a rede de tv retirou as gravuras porque…bom…ninguém se importava com isso. Eles não ganharam nenhum dinheiro.

3 – O ponto no vídeo do Tom, no entanto, é que o fracasso financeiro desse projeto não impediu que isso fizesse algo bom, porque como pesquisas recentes mostraram, o simples ato de escrever seus objetivos realmente ajuda você a se tornar mais propenso a alcançá-los.

4 – Então, o projeto da iTV, apesar do fracasso, no geral beneficiou as pessoas que se comprometeram àqueles objetivos…ou, beneficiou mesmo?

5 – Veja, essas pessoas não somente escreveram seus objetivos em particular. Eles publicamente declararam isso e alguém os gravou em um monumento para que todos vissem e é aí que está o problema. Eles contaram a alguém, ou melhor, muitos milhares de “alguéns” em rede nacional, quais eram seus objetivos e acaba que contar às pessoas sobre seus objetivos na verdade mais te prejudica do que ajuda.

6 – Agora, talvez isso seja confuso pra você. Afinal de contas, responsabilidade e coisas do tipo, certo? Contar ao meu amigo sobre meu objetivo de correr uma maratona não me faz responsável (ter de prestar contas) perante ele? Bom, em uma palavra – não. Infelizmente, esse não é o modo como isso normalmente funciona.

7 – Aqui está o ponto, a maioria dos seus amigos não irão se importar o suficiente em fazer com que você preste contas. Eles irão te dar um tapinha nas costas. Eles irão te dar os parabéns pelo seu objetivo, mas a maioria deles está ocupada demais lidando com suas próprias vidas para invadir sua casa às 4 da manhã com um rádio tocando Eye of the Tiger (Música do Rocky Balboa). A não ser que você seja eu.

8 – Mais importante ainda, anunciar seus objetivos amplia a sua brecha de intenção-comportamento. Que é a falta de conexão entre saber que você deveria fazer algo e de fato fazer isso. Agora, os psicólogos vem estudando a brecha de intenção-comportamento desde os anos 20 e o que eles descobriram é que, basicamente, nós humanos, gostamos muito de sonhar.

9 – Nós temos toneladas e toneladas de sonhos, aspirações, objetivos, fantasias, e nós normalmente somos espertos o suficiente para saber qual é o primeiro passo para alcançar aquele objetivo. Infelizmente, nós frequentemente temos problema, na verdade, para dar esse primeiro passo sem falar em continuar os próximos (passos).

10 – Conscientes deste fato, em 2009 um grupo de pesquisadores na NYU decidiram como a brecha de intenção-comportamento era afetada por pessoas que contavam aos outros sobre seus objetivos. Em quatro experimentos diferentes, eles faziam as pessoas primeiro dizerem o objetivo e depois eles os davam 45 minutos para trabalhar neles (nos objetivos).

11 – Para cada um desses experimentos, as pessoas eram divididas em dois grupos diferentes. O primeiro grupo anunciava seus objetivos para a sala antes de começar a trabalhar enquanto o segundo grupo mantinha sua boca fechada e aqui está o que aconteceu. O grupo que não disse nada tendia a trabalhar por todos os 45 minutos na média e quando eram perguntados sobre seu progresso, eles eram bem realistas.

12 – Eles tendiam a dizer que ainda tinham muito trabalho a fazer antes de terminar. Em contraste, as pessoas que anunciavam seus objetivos desistiam após somente 33 minutos de trabalho em média e quando eram perguntados sobre seu progresso, eles eram muito mais confiantes e tendiam a dizer que estavam bem perto de terminar, embora não estivessem.

13 – Esses últimos grupos fizeram muito menos progresso porque anunciar seus objetivos lhes deu uma falsa sensação de conquista. Veja, quando você anuncia seu objetivo à alguém e eles te apoiam, você se sente bem. Você quase sente como se tivesse de fato dado um passo em direção à conquista daquele objetivo e isso te dá alguma pequena sensação de satisfação.

14 – Isso é chamado de realidade social. O apoio ao seu objetivo vindo de alguém cujo respeito você deseja e na verdade faz você sentir que está perto de atingir o objetivo. Embora, na realidade, você não fez nada.

15 – Agora, eu ouvi sobre esse estudo pela primeira vez em uma palestra do TED dada pelo empreendedor Derek Silvers, a quem eu tenho “quantidades massivas” de respeito e, depois de apresentar os achados da pesquisa na palestra, este foi seu conselho:

16 – Você deve resistir à tentação de anunciar seu objetivo, atrase a gratificação que o reconhecimento social traz e entenda que a sua mente confunde o falar com o fazer.

17 – Agora, como um princípio geral, eu concordo completamente com isso e eu penso que devemos acatar a maioria disso. Eu não acho que isso reprova a utilidade dos parceiros de prestação de contas, mas eu penso que isso destaca a importância de que se você vai arranjar alguém pra contar seu objetivo, você deve se certificar que seja alguém que irá de fato te manter encarregado disso. Além disso, isso ajuda a planejar seu objetivo em termos do trabalho que você precisa aplicar em vez da identidade que você quer assumir.

18 – Então em vez de dizer “Eu quero correr uma maratona”, o que te dá uma imagem legal como corredor de maratona, apenas diga “Eu vou correr uma hora por dia”. Esse é o trabalho que você precisa aplicar e é muito mais fácil para eles mantê-lo responsável por isso.

19 – Com isso sendo dito, a principal conclusão do vídeo do Tom ainda é completamente válida, eu definitivamente acho que você deveria escrever seus objetivos. E agora que você terminou de assistir este vídeo, vai lá e dá uma assistida nesse. É um vídeo bom. Você também pode dar uma olhada na palestra do TED original do Derrick, a qual eu incorporei no post de blog para este vídeo.

20 – Se você quiser ler o post, clique no botão laranja bem ali. Se você quiser receber novas dicas de como ser um aluno mais eficiente toda semana, clique no botão “Inscrever” vermelho grande aqui em baixo. E, eu escrevi um livro inteiro sobre como conseguir notas melhores então, se você quiser uma cópia enviada para o seu e-mail, clique na imagem do livro.

21 – O vídeo da semana passada foi todo sobre como eu uso meus calendários, então dê uma olhada nele se você perdeu e se você gostaria de fazer contato, eu estou no Instagram e no Twitter @TomFrankly ou você pode deixar um comentário aqui em baixo.

Obrigado por assistir!

Espero que vocês tenham gostado do vídeo de hoje e da transcrição/tradução! Como sempre, não deixem de visitar o vídeo no Youtube e dar o seu “gostei”, pois assim vocês estão ajudando o trabalho dos criadores desses vídeos incríveis! Link para o vídeo no YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=mKdm5xSZiOA Abração e bons estudos a todos vocês!

Aulas e materiais de estudo gratuitos!

Quer receber materiais gratuitos para estudar inglês toda semana? Basta informar seu e-mail abaixo:

Jamais enviaremos e-mails não solicitados (spam)! Powered by ConvertKit