Aprendendo Inglês Com Vídeos #100: Is This The Most Dangerous School Run In The World?

24514

Aprendendo inglês com vídeos é uma série de posts em que traremos para vocês vídeos acompanhados de transcrições e traduções, pois este é um material de altíssima qualidade para qualquer estudante de inglês. A grande maioria dos vídeos virão do YouTube, assim como forma de retribuir aos criadores dos vídeos incríveis que vamos usar, pedimos que você sempre dê o seu “Gostei” no vídeo (ao clicar para reproduzir o vídeo você verá a opção “gostei” no próprio vídeo)

Is This The Most Dangerous School Run In The World? (Transcrição)

1 – Could this be the most extreme school run in the world? The rapidly flowing waters of Nepal’s Trishuli River might be well known to adventure sports enthusiasts, but these residents of the Benighat district take their lives in their hands often several times a day using hand-operated cable crossings to reach the other side. There are almost a dozen of these crossing in the area and many more throughout Nepal, which villagers use to reach shops, visit relatives and friends, or simply to go to school.

2 – There are few permanent bridges on the river and they are many miles apart, forcing the locals to use these more direct if less safe routes.

3 – In recent years, accidents have increased demand for foot bridges to be built in the area. In 2010, 5 people died falling into the water when a cable snapped, and many others have suffered injuries, including losing fingers.

4 – Recently, Nepal’s Prime Minister K.P. Oli announced a plan to replace the cable crossings with 366 suspension bridges over the next 2 years, and in January 2016 the first of these bridges connecting the villages of Manthali and Gimdi over the Baghmati River was opened.

5 – As the rest of the bridges are built, it could mean the end for the cable crossings. But for now, they remain the only direct route for thousands of people living in remote areas.

Essa é A Ida Para a Escola Mais Perigosa do Mundo? (Tradução)

1 – Poderia esta ser a “ida e volta para a escola” mais extrema do mundo? As águas que fluem rapidamente do Rio Trishuli no Nepal, podem ser bem conhecidas pelos entusiastas dos esportes de aventura, mas estes moradores do distrito de Benighat tomam suas vidas nas mãos frequentemente, várias vezes por dia, usando cabos de travessia operados manualmente para chegar ao outro lado. Existe quase uma dúzia destas travessias na área e muitas mais por todo o Nepal, as quais aldeões usam para chegar à lojas, visitar parentes e amigos, ou simplesmente ir para a escola.

2 – Há algumas pontes permanentes no rio e elas estão à muitas milhas de distância, forçando os moradores locais a usar estas rotas mais diretas e menos seguras.

3 – Nos últimos anos, os acidentes aumentaram a demanda para a construção de passarelas na área. Em 2010, 5 pessoas morreram caindo na água quando o cabo arrebentou, e muitos outros tem sofrido ferimentos, incluindo perder os dedos.

4 – Recentemente, o primeiro ministro do Nepal, K.P Oli, anunciou um plano para substituir as travessias por cabo por 366 pontes suspensas pelos próximos 2 anos, e em janeiro de 2016 a primeira dessas pontes conectando as vilas de Manthali e Gimdi sobre o rio Baghmati foi aberta.

5 – Enquanto o resto das pontes são construídas, isso poderia significar o fim das travessias a cabo. Mas por enquanto, elas continuam sendo a única rota direta para milhares de pessoas vivendo em áreas remotas.

School Run: Esta é uma expressão britânica que se refere ao ato de levar e buscar as crianças na escola ou ainda, o ato de ir e voltar da escola. A tradução desse termo para o português é algo bem complicado, pois não temos um termo específico para isso.

Espero que vocês tenham gostado do vídeo de hoje e da transcrição/tradução! Como sempre, não deixem de visitar o vídeo no Youtube e dar o seu “gostei”, pois assim vocês estão ajudando o trabalho dos criadores desses vídeos incríveis! Link para o vídeo no YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=sRNNRahOumU Abração e bons estudos a todos vocês!